Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Campina Grande, Paraíba - Genealogia

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
The printable version is no longer supported and may have rendering errors. Please update your browser bookmarks and please use the default browser print function instead.

Brasil Gotoarrow.png Paraíba Gotoarrow.png Campina Grnade

Campina Grande é um município brasileiro no estado da Paraíba. Considerada um dos principais polos industriais da Região Nordeste bem como principal polo tecnológico da América Latina segundo a revista americana Newsweek, Pertence à Região Geográfica Imediata de Campina Grande e à Região Geográfica Intermediária de Campina Grande. De acordo com estimativas de 2017, sua população é de 410 332 habitantes, sendo a segunda cidade mais populosa da Paraíba, e sua região metropolitana, formada por dezenove municípios, possui uma população estimada em 638 017 habitantes.

(Inclua nesta página dados deste município. As informações em itálico são apenas orientações e deverão ser suprimidas assim que os conteúdos forem incluídos.)

CampinaGrandePB.svg.png

Localização: Mesorregião Agreste Paraibano
Área: Área 594,182 km²
Distância da Capital: 112 km

Datas
[editar | editar código-fonte]

(Inclua datas históricas relacionadas ao município, como data de fundação, emancipação política, etc.)

Distrito foi fundada em 1 de Dezembro de 1697, com a denominação de Campina Grande, pela Provisão de 1769.

Em 1750, Campina Grande é elevada a freguesia Nossa Senhora dos Milagres. Posteriormente, o Governo da Capitania de Pernambuco propõe a criação de três vilas no Cariri paraibano. Em 1787, Antônio Felipe Soares de Andrade Preterades resolve homenagear a Rainha de Portugal, D. Maria I, nomeando o local de Vila Nova da Rainha, e estabelecendo a primeira rua do núcleo urbano, com casas de taipa. 

Elevado à categoria de vila com a denominação de Vila Nova da Rainha, por ordem do governo em 25 de agosto de 1788.

Elevado à condição de cidade e sede do município com a denominação de Campina Grande, 11 de outubro de 1864.

Antigas Denominações
[editar | editar código-fonte]

Nossa Senhora dos Milagres (1750)

Vila Nova da Rainha (1787)

(Inclua antigos nomes que o município tenha tido.)

Municípios Circunvizinhos
[editar | editar código-fonte]

Localidades
[editar | editar código-fonte]

(Inclua sublocalidades do município que sejam significativas, tais como povoados, fazendas, estâncias, etc.)

Distritos: Joffily (Pocinhos), Fagundes, Boa Vista, Caturité (Conceição), Galante, Ipanarana (Lagoa Seca), Massaradiba (Massaranduba), Puxinanã, Tataguassu (Queimadas), Catolé, São José da Mata, Santa Terezinha.

História
[editar | editar código-fonte]

(Inclua um breve resumo histórico sobre o município, destacando os fatos que se relacionem ou que facilitem de alguma forma a pesquisa genealógica na localidade.)

Normalmente a origem de Campina Grande é creditada à ocupação pelos índios Ariús no sítio de Campina Grande, liderados por Teodósio de Oliveira Lêdo, Capitão-mor dos Sertões, em 1º de dezembro de 1697. Entretanto, alguns autores não concordam com essa versão, sugerindo que o local já era povoado (com o nome de Campina Grande) na chegada de Teodósio com os Ariús. O Capitão-mor teria, nessa última versão, consolidado o povoado (que já encontrava-se povoado) e seu desenvolvimento, integrando o sertão com o litoral, levando em consideração que o posicionamento geográfico de Campina Grande é privilegiado, sendo passagem dos viajantes do oeste para o litoral paraibano.

Em 1750, Campina Grande é elevada a freguesia Nossa Senhora dos Milagres. Posteriormente, o Governo da Capitania de Pernambuco propõe a criação de três vilas no Cariri paraibano. Em 1787, Antônio Felipe Soares de Andrade Preterades resolve homenagear a Rainha de Portugal, D. Maria I, nomeando o local de Vila Nova da Rainha, e estabelecendo a primeira rua do núcleo urbano, com casas de taipa. A igreja construída no alto da ladeira deu origem a várias casas em seus arredores, no que é atualmente a Catedral de Campina Grande. O largo da Matriz, a rua onde foi construída a igreja, posteriormente tornou-se uma das ruas mais importantes da cidade: a Avenida Floriano Peixoto. A economia do povoado era sustentada pela feira das Barrocas, por onde passavam vários boiadeiros e tropeiros.

Assim, devido ao progresso comercial alcançado, aos poucos o povoado evoluiu a vila. À época de seu surgimento, poucas povoações de relevo existiam na Paraíba, a exemplo: Alhandra, Jacoca, Baía da Traição e Cabedelo, no Litoral; Monte Mor, Taipu e Pilar, na região da Várzea; Boqueirão, no Cariri; e Piranhas e Piancó, no Sertão.

No fim do século XVIII, a Coroa pretendia criar novas vilas na província. Nesta época, a província da Paraíba era sujeita à de Pernambuco, cujo governador era D. Tomás José de Melo. Em 1787, o ouvidor da província da Paraíba, Antônio F. Soares, pediu ao governador de Pernambuco a criação de três vilas na capitania. Duas dessas vilas o ouvidor criaria em Caicó e em Açu, onde já havia povoamentos que, nesta época, faziam parte da Capitania da Paraíba. A outra, pretendia criar na região do Cariri, que compreendia parte do que hoje são a Microrregião do Cariri Oriental e do Cariri Ocidental. Campina Grande e Milagres eram as duas freguesias candidatas a virarem vila que estavam naquela região.

Assim, em abril de 1790, Campina Grande foi escolhida pelo Ouvidor Brederodes para se tornar vila, devido à suas terras cultivadas produzirem mais riquezas e principalmente devido à sua melhor localização, estando entre a capital no litoral e o sertão.

No dia 6 de abril, Campina Grande passou a ser chamada oficialmente de Vila Nova da Rainha, em homenagem à Rainha Dona Maria I. Apesar da mudança de nome, os habitantes locais continuaram a chamar o lugar de Campina Grande, e somente em textos oficiais e formais o nome Vila Nova da Rainha era utilizado. A cadeia de Campina Grande foi construída em 1814, no largo da Matriz (atual Avenida Floriano Peixoto). Este prédio hoje em dia é o Museu Histórico e Geográfico de Campina Grande.

Assim, Campina Grande alcançou a categoria de vila em 1790. A vila então possuía câmara municipal, cartório e pelourinho. Entretanto, a Vila Nova da Rainha não despertou grande interesse da província e crescia ainda muito lentamente: depois de oito anos criada a vila, possuía pouco mais de cem casas com apenas três mil habitantes. O território ocupado por Campina Grande era bastante abrangente: compreendia o Cariri (a não ser por Serra do Teixeira), parte do Agreste, parte do Brejo, abrangendo os povoados de Fagundes, Boqueirão, Cabaceiras, Milagres, Timbaúba do Gurjão, Alagoa Nova, Marinho, e outros, ao todo somando um território de mais de 900 km².

Em 1852 a população da Vila já era de 17 900 pessoas. Mas em 1856, uma epidemia matou cerca de 1550 pessoas do lugar, diminuindo quase 10% de sua população, chegando aos corpos ficarem sem espaço para serem sepultados nas igrejas.

Em 1888, Campina Grande tinha cerca de quatro mil habitantes e era talvez a mais populosa e próspera localidade do interior da Paraíba. Passava por ali a principal estrada que ligava os sertões paraibanos e rio-grandenses do norte às cidades da Paraíba e do Recife. O ramal da Great Western of Brazil Railway Company - hoje Rede Ferroviária do Nordeste -, inaugurado em 1907, a iluminação elétrica em 1919 e o serviço de abastecimento de água em 1939 foram fatores decisivos no surto do progresso local.

Famílias Tradicionais
[editar | editar código-fonte]

(Relacione as famílias mais antigas e tradicionais do município, por ordem alfabética de sobrenome e separado por vírgulas.)

Instituições
[editar | editar código-fonte]

Cartórios de Registro Civil, Notas e similares
[editar | editar código-fonte]

(Inclua as unidades cartoriais do município, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

Cartório de Registro Civil de Pessoas Naturais Avenida Floriano Peixoto, 813 Centro Cep: 58101-065 Fone: (83) 3321-4598

Cartório de Registro Civil Praça Clementino Procópio, 119 Centro Cep: 58400-292 Fone: (83) 3321-5200 Email: marcelinodealmeida@gmail.com

Cartório Único de São José da Mata Rua João Miguel Leão, s/n São José da Mata Cep: 58441-000 Fone: (83) 3314-1233 Email: cartórios.j.damata@hotmail.com

Cartório de Registro Civil de José Pinheiro Rua Fernandes Vieira, 482 José Pinheiro Cep: 58407-490 Fone: (83) 3341-8065 Email: cartoriojosepinheiro@hotmail.com

Cartório do Registro Civil Avenida Severino Cabral, 5885 Santa Terezinha Cep: 58101-185 Fone: (83) 9971-6264

Galante Cartório de Notas e Documentos Rua do Comércio, 216 Centro Cep: 58100-000 Fone: (83) 9305-9130

Ofício de Registro Civil Rua do Grupo, 23 Catolé Cep: 58108-000 Fone: (83) 3349-1023

Ofício do Registro Civil das Pessoas Naturais Avenida Rio Branco, 1146 Prata Cep: 58400-575 Fone: (83) 3341-8562 Email: cartoriobodocongo@gmail.com

Cemitérios
[editar | editar código-fonte]

Cemitério Campo Santo Parque da Paz

Endereço: Av. Asis Chateaubriand, 5460

Bairro: Velame

Campina Grande-PB

Cep: 58418-800

Telefone: (83) 3331-4300

Cemitério Nossa Senhora do Carmo

Endereço: R. Olegário Maciel, s/n

Bairro: Monte Santo

Campina Grande-PB

Cep: 58400-745

Telefone: (83) 98819-5672

(Inclua o(s) nome(s) do(s) cemitério(s) do município, tanto públicos quanto particulares, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver)

Centros de História da Família
[editar | editar código-fonte]

Campina Grande

Brazil Family History Center

Endereço: R. Capitão João Alves de Lira, 90

Campina Grande-Paraíba

Cep: 58101-280

Telefone: (83) 341-3420

Aberto: Sábado, das 14:30 ás 16:00hs

Brazil Liberdade Family History Center

Endereço: R. Getúlio Cavalcante, 273

JD PAUL C GRDE

Cep: 58105-305

Telefone: (83) 3341-3420

(Inclua o(s) nome(s) do(s) Centro(s) de História da Família existente(s) no município. Utilize a opção Inserir Hiperlink para ligá-lo à página do Centro na Wiki.)

Locais de Registros Religiosos
[editar | editar código-fonte]

(Inclua as igrejas e outras instituições ligadas a estas, como dioceses, arquidioceses e escritórios, existentes no municípios, bem como endereço, telefone, e-mails e links para páginas virtuais, se houver.)

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO – 1769 CATEDRAL DIOCESAN Av. Floriano Peixoto, S/N – Centro Cep: 58400-165 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3321-3140 E-mail: catedralcg@gmail.com Site: www.catedralcg.org.br

PARÓQUIA DA SAGRADA FAMÍLIA – 1999 Rua Otávio Batista Cabral, S/N Conjunto Rocha Cavalcante Cep: 58423-215 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3339-7330 E-mail: secretariasagradafamilia.cg@hotmail.com Site: www.sagradafamiliacg.org.br

PARÓQUIA DA SANTISSIMA TRINDADE – 2009 Rua João Quirino, S/N – Catolé Cep: 58410-370 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3337-7473 E-mail: secretaria@santissimatrindade.org

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS – 1951 Rua Amazonas, 590 – Liberdade Cep: 58414-280 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3322-6861

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DE FÁTIMA – 1991 Rua Ana Azevedo, S/N – Palmeira Cep: 58401-093 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3321-0799

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DO PERPÉTUO SOCORRO – 1952 Rua Aprígio Veloso, 1369 – Bodocongó Cep: 58430-380 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3333-1640 E-mail: perpetuosocorro_bodocongo@hotmail.com

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO – 1940 Rua Nilo Peçanha, S/N – Prata Cep: 58400-515 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3321-3445 / Fax: (83) 3342-4613 E-mail: rosario@rosario.org.br Site: www.rosario.org.br

PARÓQUIA DE SANTA ROSA DE LIMA – 2009 Rua do Sol, 1367 – Santa Rosa Cep: 58416-540 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3341-4574 E-mail: par.rosadelima@hotmail

PARÓQUIA DE SANTO ANTÔNIO – 1962 Rua Santo Antônio, S/N – Santo Antônio Cep: 58406-025 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3321-2574 E-mail: paroquiasantoantoniocg@gmail.com

PARÓQUIA DE SÃO CRISTÓVÃO – 1960 Rua Delmiro Gouveia, S/N – Centenário Cep: 58428-016 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3341-5584 Site: paroquiadesaocristovaocg.com

PARÓQUIA DE SÃO FRANCISCO DE ASSIS – 1952 Rua São Francisco, 195 – Conceição Cep: 58401-279 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3341-5429 E-mail: paroquiasaofranciscocg@yahoo.com

PARÓQUIA DE SÃO JOSÉ – 1951 Rua Campos Sales, 623 – José Pinheiro Cep: 58407-450 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3322-2970 E-mail: psaojosecg@yahoo.com.br

PARÓQUIA DO SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS – 1961 Rua Luiz Sodré Filho, 685 – Catolé Cep: 58410-480 – Campina Grande – PB Fone: (83) 3337-1032

Outros Locais e Instituições
[editar | editar código-fonte]

Prefeitura Municipal- Campina Grande

Endereço: R. Nossa Senhora de Lourdes, 85

Bairro: Jardim Tavares

Campina grande- Paraíba

Cep: 58400-058

Telefone: (83) 3310-6713

(Inclua Associações, Arquivos Públicos, Bibliotecas, Institutos Históricos, Museus, Prefeituras e qualquer outra instituição que possa conter acervo de interesse para a História da Família ou que possa servir de meio para contato no município; inclua endereços, telefones para contato, e-mails e links para páginas virtuais, se houver. Relacione-os em ordem alfabética.)

Outros Recursos de Pesquisa
[editar | editar código-fonte]

https://familysearch.org/catalog-search

(Inclua outros recursos que possam ser utilizados para pesquisa específica no município, como comunidades online, páginas pessoais, etc.)

Bibliografias
[editar | editar código-fonte]

(Inclua livros já publicados relacionados à localidade.)

Referências
[editar | editar código-fonte]

  1. http://pt.wikipedia.org/wiki/Campina_Grande
  2. http://cod.ibge.gov.br/232N6

http://www.cnj.jus.br/corregedoria/registrocivil/index.php?