Se você não conseguir editar a wiki após o login, você precisará solicitar direitos de edição usando este formulário. Você será notificado assim que tais direitos de edição lhe forem concedidos.

Itália, Emigração e Imigração

Fonte: FamilySearch Wiki
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Itália Gotoarrow.png Emigração e Imigração

Fontes de emigração e imigração relacionam os nomes das pessoas que saem (emigração) ou entram (imigração) em um país - neste caso, na Itália. Estas fontes são normalmente encontradas como listas de passageiros. As informações contidas nestes registros podem incluir os nomes dos emigrantes; suas idades, ocupações e destinos, e muitas vezes os seus lugares de origem ou local de nascimento.

Os registros foram criados quando o indivíduo ou emigrou da / ou imigrou para a Itália. Registros separados documentam a chegada de um antepassado em seu país de destino. Esta seção discute:

  • Encontrar cidade de origem do emigrante.
  • A emigração da Itália, incluindo o contexto histórico da emigração italiana.
  • Registros de emigrantes italianos em seus países de destino.
  • A imigração para a Itália.

Infelizmente, existem poucos registros de emigração italiana. Você pode, no entanto, encontrar muitos registros nos Estados Unidos de italianos que se mudaram para lá. Alguns países sul-americanos também têm registros de imigrantes italianos.

Encontrar a Cidade de Origem do Emigrante[editar | editar código-fonte]

Depois de ter traçado sua família até o seu ancestral imigrante, você deve determinar a cidade ou a cidadezinha da qual ele ou ela veio.

Várias fontes podem fornecer esta informação. Você pode ser capaz de encontrá-lo conversando com os familiares mais velhos ou pesquisando documentos, tais como:

  • Certidões de Nascimento, Casamento e Óbito
  • Obituários
  • Revistas
  • Fotografias
  • Cartas
  • Bíblia da Família
  • Certificados ou Registros da Igreja
  • Pedidos de Naturalização e Petições
  • Listas de Passageiros
  • Passaportes
  • Herança de Família
  • Registros Governamentais

Embora existam poucos registros de emigração da Itália, várias outras fontes podem ajudar a rastrear o lugar de origem do seu ancestral imigrante. Veja os "Registros de Emigrantes Italianos em seus Países de Destino" nesta seção, abaixo.

Informações adicionais sobre encontrar as origens dos ancestrais imigrantes podem ser encontradas em Rastreamento de origens de imigrantes.

Emigração da Itália para as Américas[editar | editar código-fonte]

Argentina[editar | editar código-fonte]

País da América Latina que mais recebeu imigrantes italianos - cerca de 2,9 milhões entre 1870 e 1970, 1,7 milhão somente entre 1896 e 1914. Porém, ao contrário do que ocorreu no Brasil, cerca de 51% foram repatriados, ou seja, retornaram posteriormente à Itália. A maioria veio das regiões do Piemonte, Calábria, Liguria e Lombardia, além do Vêneto. A grande maioria se estabeleceu na capital, Buenos Aires.

Brasil[editar | editar código-fonte]

A necessidade de mão-de-obra nas lavouras do sul e sudeste fomentaram a contratação de imigrantes vindos de diversos países, especialmente da Itália. Entre 1870 e 1920, período no qual se concentrou a imigração italiana no país, cerca de 1,4 milhões de pessoas entraram no Brasil, muitos deles em grupos familiares. A maioria procedia das regiões do Vêneto, Lombardia, Campania, Basilicata, Calábria, Sicília, Abruzzo, Molise, Lazio e Umbria, partindo principalmente dos portos de Gênova e Nápoles; a partir de 1905, também de Palermo e Messina.

Apenas seis estados brasileiros concentraram a quase totalidade da imigração italiana no Brasil: São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Espírito Santo, Santa Catarina e Paraná.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

De 1848 a 1870, mais de 20 mil emigrantes deixaram a Itália e migraram para os Estados Unidos. Esta onda de emigração foi causada pela agitação política e revolução quando a Itália lutava para se tornar um estado independente e unificado. De 1870 a 1880, uma estimativa de 55.000 italianos vieram para os Estados Unidos; de 1880 a 1890, mais de 300.000 também emigraram e, entre 1890 e 1914, cerca de 4 milhões.

A maioria dos emigrantes eram do sul da Itália e se estabeleceram em Nova York, Chicago, e ao longo da Costa Leste. Muitos emigrantes do norte da Itália se estabeleceram em cidades mineradoras de minerais e de carvão nos Estados Unidos. Outros, mais tarde, se estabeleceram no norte da Califórnia, onde o clima era semelhante ao de sua terra natal.

Listas de Passageiros[editar | editar código-fonte]

Durante os anos de 1800, muitos emigrantes italianos saíram pelos portos de Le Havre, Marselha e Nice, na França, e Gênova, Nápoles e Palermo, na Itália. Embora alguns dos registros de partidas destes portos italianos existam, eles são geralmente listas de navegação e não lista de passageiros. Cada companhia de navegação individual manteve suas próprias listas, e a maioria das listas foram perdidas ou destruídas. No entanto, outras fontes de informação de emigração são descritas em "Registros de Emigrantes Italianos em Seus Países de Destino" e "Procurar a Cidade de Origem do Emigrante", nesta seção.

Outros Registros de Partida[editar | editar código-fonte]

Em 1869, o governo italiano começou a exigir que as pessoas obtivessem passaportes para se deslocar no interior da Itália. No entanto, os Estados Unidos e muitos outros países não requeriam passaportes - assim, muitos italianos deixaram a Itália sem um passaporte oficial.

O governo italiano usava os passaportes para garantir que jovens italianos não emigrassem para evitar o alistamento militar; consequentemente, a polícia foi responsável pela emissão destes documentos. Os passaportes são emitidos ainda hoje pelo questura (chefe da polícia interna) em cada província. Embora você possa escrever para solicitar informações de passaporte, os arquivos onde esses registros são mantidos não estão abertos ao público. Você vai encontrar geralmente passaportes entre os documentos pessoais da família do emigrante no seu país de destino.

Como os registros de passaporte podem ser difíceis de encontrar e acessar, você pode querer verificar com o anagrafe (cartório internacional de registro) em cada comune. Este cartório mantém registros de mudanças de residência e emigração, juntamente com datas e destinos prováveis.

Alguns pedidos de passaporte sobreviveram os anos e estão atualmente sendo digitalizados e indexados pela BYU Imigrantes Ancestors Project. Embora seja um projeto em andamento, você pode fazer uma pesquisa por nome nos registros já indexados.

Registros de Passaporte (passaporti)[editar | editar código-fonte]

Estes registros, emitidos por cartórios notariais ou por arquivos estaduais (archivio di stato) podem conter os nomes dos passageiros titulares de passaporte ou licenças de migração, bem como nomes de seus pais, locais de residência ou de origem, as datas de migração, destinos, relações com outros passageiros ou os membros do partido e outras informações vitais, tais como datas de nascimento, datas de casamento, filhos, etc. Podem, também, frequentemente ligar o local de origem ao local de emigração.

Estes documentos estão geralmente custodiados nos arquivos de estado e são acessíveis a acadêmicos e pesquisadores sérios por pedido. [1]

Registros de Emigrantes Italianos em Seus Países de Destino[editar | editar código-fonte]

Às vezes, as melhores fontes de informação sobre o seu antepassado emigrante são encontradas no país para o qual ele ou ela emigrou. Registros de entrada em portos e hospedarias, recenseamentos, registros do governo, solicitações de naturalização no país de destino, são documentos que podem utilizados para identificar a origem de um emigrante italiano.

Argentina[editar | editar código-fonte]

Brasil[editar | editar código-fonte]

Espirito Santo[editar | editar código-fonte]

Projeto Imigrantes - Compilação dos registros de entrada de milhares de famílias italianas que chegaram ao estado para estabelecer colônias. Acervo do Arquivo Público do Estado do Espirito Santo.

Minas Gerais[editar | editar código-fonte]

Arquivo Público Mineiro: vinculado à Secretaria de Estado de Cultura de Minas Gerais. Possui, entre outros documentos, um significativo conjunto de documentos relacionados à chegada de imigrantes estrangeiros no estado, como códices que registram a entrada de imigrantes nas hospedarias mantidas pelo governo estadual, como os da Hospedaria Horta Barbosa, em Juiz de Fora.

O acervo pode ser consultado aqui.

Rio de Janeiro[editar | editar código-fonte]

Coleção FamilySearch -Índices e imagens de cartões de imigração criados por consulados brasileiros em vários países do mundo e apresentados ao porto de entrada por estrangeiros visitando ou imigrando para o Brasil (1900-1965). Coleção sob custódia do Arquivo Nacional em Rio de Janeiro.

Salvador[editar | editar código-fonte]

Coleção FamilySearch -Relações de passageiros de embarcações com entrada no porto de Salvador entre 1855 e 1964

São Paulo[editar | editar código-fonte]

Registros de imigrantes italianos no Brasil podem ser encontrados nos seguintes locais:

Museu da Imigração: instituição voltada à preservação da memória dos imigrantes estrangeiros que chegaram ao Brasil por meio da Hospedaria de Imigrantes, na cidade e porto da cidade de Santos, estado de São Paulo. Em seu site é possível pesquisar:

Coleção FamilySearch - Fichas de registros de estrangeiros com residência no estado de São Paulo (1902-1980). Estas fichas foram produzidas pela Secretaria de Segurança Pública e se encontram hoje no Arquivo Público do Estado de São Paulo.

Coleção FamilySearch - Relações de passageiros de embarcações com entrada no porto de Santos, São Paulo (1960-1982).

Coleção FamilySearch - Registros da Hospedaria dos Imigrantes (1882-1925). Registros de matrícula, inclusive índices e listas de passageiros, da Hospedaria de Imigrantes em São Paulo. Acervo do Arquivo da Secretaria da Promoção Social em São Paulo.

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

Listas de passageiros: A maioria dos emigrantes italianos para os Estados Unidos chegaram nos portos de Nova York, Nova Orleans, Filadélfia e Boston. A Biblioteca de História da Família tem cópias em microfilme dos registros e índices de cada um destes portos 1820-1945. Se o seu antepassado emigrou depois de 1893, a lista de passageiros provavelmente irá relacionar o local de nascimento e a última residência conhecida. Veja Estados Unidos, Emigração e Imigração para mais informações sobre listas de passageiros dos Estados Unidos.

Listas de Imigração: Uma lista publicada e índice de emigrantes italianos para a América é:

  • Italianos para a América, listas de passageiros que chegaram aos portos dos EUA, 1880-1899

Listas de passageiros online: Um banco de dados pesquisável de emigrantes italianos para a América:

  • NARA fez recentemente: Arquivos de dados relativos à imigração de Italianos para os Estados Unidos, documentando o período de 1855-1900 disponível através da internet.

A Imigração para a Itália[editar | editar código-fonte]

Muitas pessoas se mudaram para a Itália nos seguintes períodos:

No início de 1200: Emigrantes valdenses da França mudaram-se para o norte da Itália como resultado de perseguição religiosa.

1431 a cerca de 1450: Milhares de gregos e cristãos albaneses mudaram-se para a Itália como resultado de perseguição dos turcos muçulmanos. Eles se estabeleceram em áreas costeiras da península italiana e na Sicília.

1492 para 1692: Milhares de emigrantes judeus se mudaram para a Itália por causa da perseguição religiosa. A maioria deles veio da Espanha e Portugal. Muitos estabeleceram-se em Roma, além de outras cidades.

Infelizmente, há poucas fontes de imigração existentes para a Itália. Em vez disso, olhe para os registros de emigração do país do qual seu ancestral se mudou.

Links Externos[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. A História da Família Departamento da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, "Perfil de Registro da História da Família: Itália," documento do Word, arquivos privados do Conteúdo Estratégico da Equipe do FamilySearch, 1987-1999.